Câmara Municipal de Blumenau

Poder Legislativo do Município de Blumenau

Requerimento 1717/2021

Dados do Documento

  1. Data do Documento
    13/10/2021
  2. Documento Impressão
  3. Documento sem Manifesto
  4. Ementa
    providências ao Executivo Municipal para que, na forma e dentro do prazo legal, responda ao seguinte pedido de informação: Quais encaminhamentos estão sendo realizados pela Secretária Municipal da Saúde, no sentido de estabelecer que a consulta intima não seja feita pelo clínico geral? Obs.: que um ginecologista possa atender uma vez por mês ou a cada 15 dias no AG, que abrange as unidades de Saúde daquela região. Muitas mulheres se sentem constrangidas e não vão às consultas, muitas vezes, por ser um homem clínico geral. É fato que se encaminha para Policlínica, que atende uma grande demanda e, por isso, é praticamente impossível atender em tempo hábil, e, muitas vezes, quando se consegue um atendimento, a doença já está em estágio avançado. O AG da Fortaleza oferece apenas o pediatra como especialista; as outras especialidades são encaminhadas para a Policlínica, o que não poderia estar acontecendo, o AG formando filas infindáveis, sobrecarregando também os atendimentos nos hospitais que procuram o Posto de Atendimento. Parafraseando o líder do Governo na Câmara, Sr. Marcelo Lanzarin, um minuto para quem está com uma doença grave e até mesmo com câncer pode significar a vida dessa pessoa. A saúde é um direito dos munícipes e não uma caridade da gestão.  
  5. Situação
    Arquivado em 18/10/2021


Senhor Presidente da Câmara Municipal de Blumenau,

 

A Vereadora que este subscreve requer à Mesa Diretora desta Casa que, após ouvido o Plenário, encaminhe pedido de:
providências ao Executivo Municipal para que, na forma e dentro do prazo legal, responda ao seguinte pedido de informação:

Quais encaminhamentos estão sendo realizados pela Secretária Municipal da Saúde, no sentido de estabelecer que a consulta intima não seja feita pelo clínico geral?

Obs.: que um ginecologista possa atender uma vez por mês ou a cada 15 dias no AG, que abrange as unidades de Saúde daquela região. Muitas mulheres se sentem constrangidas e não vão às consultas, muitas vezes, por ser um homem clínico geral. É fato que se encaminha para Policlínica, que atende uma grande demanda e, por isso, é praticamente impossível atender em tempo hábil, e, muitas vezes, quando se consegue um atendimento, a doença já está em estágio avançado. O AG da Fortaleza oferece apenas o pediatra como especialista; as outras especialidades são encaminhadas para a Policlínica, o que não poderia estar acontecendo, o AG formando filas infindáveis, sobrecarregando também os atendimentos nos hospitais que procuram o Posto de Atendimento. Parafraseando o líder do Governo na Câmara, Sr. Marcelo Lanzarin, um minuto para quem está com uma doença grave e até mesmo com câncer pode significar a vida dessa pessoa. A saúde é um direito dos munícipes e não uma caridade da gestão.  



  

Sala das Sessões, 13 de outubro de 2021.




Teresinha Aparecida Cardoso
Vereadora